BALELAS: TENHA UMA TERRA DO NUNCA NA SUA VIDA OU NÃO DEIXA SUA CRIANÇA INTERIOR IR EMBORAIm

Hoje é dia das crianças, além de curtir o feriado do dia da padroeira do Brasil, me peguei pensando nessa semana do significado de ser criança. Eu não gostava muito disso, de ser criança, eu precisava depender de muita gente pra fazer algo simples como comer ou me trocar. As pessoas mais velhas me pareciam felizes: riam de piadas que eu não entendia, saiam sem dar satisfação, com seus próprios carros, compravam coisas com seu próprio salário, entendiam coisas que eu não entendia, e gostavam de repetir para mim que “um dia, quando eu crescesse, eu entenderia as coisas”.

Aí eu cresci, e entendi as coisas – algumas delas, na verdade -, mas o grande segredo do mundo ainda não entendi, mas às vezes acho que perdi a vontade de procurar. Eu já falei um pouco sobre ser adulto aqui no blog. E repito que não sou uma pessoa nostálgica, não aquele tipo de pessoa que “gostaria de voltar a ter tantos anos porque iria fazer tal coisa que mudaria sua vida”, não, essa não sou eu, mas acho muito importante ter uma Terra do Nunca na sua vida, sabe (Já falei aqui sobre ter um porto seguro, é mais ou menos isso).

Quando eu era criança, minha avó paterna e minha tia favorita moravam numa chácara e lá eu me divertia muito, subia “nos pés” (de goiaba, manga, jabuticaba…), inventava teatros e coreografias com minhas primas, brincava de casinha, de guerra no pomar (com as frutas podres) e de construir fortes no barro, e claro, conversava sozinha no meu mundo da imaginação infinito. Eu já era meio grandinha, tinha 8 anos, mas ainda usava a mamadeira para tomar leite (não me julguem!), e lá era o único lugar que eu não tinha vergonha de fazer isso, porque essa minha vó, uma baiana arretada, dizia que eu não deveria ter vergonha das coisas que eu faço, porque ninguém tem que se meter na minha vida.

A Terra do Nunca seria um lugar (ou uma pessoa) onde você volta a ser criança nesse sentido, sabe. Onde você não tenha vergonha de ser você mesma, por mais louca que você possa parecer. Onde você pode contar sobre seus pensamentos mais bizarros, seus medos mais profundos. Rir até doer a barriga. Uma pessoa (ou um lugar) com quem você possa fazer guerra de travesseiro e sem te julgar por ser muito velha.

O mesmo com seus sonhos, quando a gente cresce começa a sonhar baixo, porque no fundo você sabe que não vai conseguir realizar coisas muito grandes, mas mesmo assim, porque deixar de pensar nisso? Porque deixar de sonhar? E daí que você não vai realizar, sonhar é tão bom, faz a gente esquecer dos problemas e usar a imaginação!

Imaginação, adultos esquecem de usar a imaginação! Não seja um adulto assim, eu tento não ser assim, eu tento não ser aqueles adultos que reclamam da segunda-feira, que vivem dizendo que estão cansados, mas o cotidiano nos consomem e quando eu vejo, lá vai Dona Mariane reclamar e reclamar e reclamar.

Eu não tenho mais a chácara onde minha vó morava, nem minha avó e minha tia favorita. Mas eu tenho minha Terra do Nunca, que coincidentemente é meu porto seguro, que não deixa minha criança interior ir embora, que ouve minhas bobagens e explicações malucas sobre qualquer coisa, que dança ou canta na rua comigo sem nenhum motivo, que gosta de ficar na sessão de brinquedos das lojas e mexer em tudo e que me faz rir até doer a barriga. Que me deixa leve, como quando somos crianças e não sabemos ainda sobre o peso do mundo.

Desejo à vocês nesse dia, que procurem um lugar, uma pessoa ou uma coisa que te façam voltar a ser criança e sejam, sempre, muito felizes!

Escrito por:
Mari Bomfim

Anúncios

5 comentários em “BALELAS: TENHA UMA TERRA DO NUNCA NA SUA VIDA OU NÃO DEIXA SUA CRIANÇA INTERIOR IR EMBORAIm

  1. Eu gosto imenso de conversar com a minha criança interior. Ela é carteira e ri das coisas mais bobas. Fecha a cara e cruza os braços quando não gosta de algo e mostra a língua quando reprova alguma coisa é quando ama abraça forte e não larga. No fim do dia quer sorvete e pela manhã água fria na cara… Todas as coisas mais simples que eu gosto e por causa dela: é a minha terra do nuncá.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Que legal isso Mari! Hoje que sou mãe, percebo que meu filho é esse porto seguro, quem me faz brincar, me sujar, acreditar que o mundo ainda pode se tornar um lugar melhor, sabe!
    E o que eu digo a ele todos os dias, e digo a todos que conheço é: não tenha pressa de crescer, as responsabilidades são muitas e a liberdade de “poder fazer o que fazer” não compensa, até porque não existe, de verdade. Sim, sou meio nostálgica e gostaria mesmo de poder ser criança novamente, mas quando vejo meu filho entendo que é uma maravilha poder ver ele crescer e sei que agora é a vez dele ser criança e aproveitar a melhor fase da vida. E posso ser criança também, por meio dele!!! 🙂
    Adorei o post!
    Xero

    http://mulherpequena.wordpress.com

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s