DESAFIO LITERÁRIO DOS 60 DIAS #4

A Ana Carolina, do blog Palavra Sonhadora, fez um desafio literário muito legal em 2012. O desafio consiste em postar sobre livros por 60 dias, não há necessidade de serem dias seguidos, os livros podem ser repetidos, a regra é seguir os temas. Quer saber sobre os outros livros? Clica na barra do menu ali em cima e selecione a categoria, ou clique aqui.

DESAFIO LITERÁRIO DOS 60 DIAS

#4 – UM LIVRO QUE VOCÊ TENHA LIDO 3 VEZES OU MAIS.

Quando me perguntam: “Qual livro você leu várias vezes?” Eu sempre respondo: “A menina que roubava livros”, porque simplesmente esse foi e é um dos meus livros favoritos do mundo todo. Eu já li “Harry Potter e A Pedra Filosofal” exatamente três vezes, “O Pequeno Príncipe” um montão também, mas o livro que eu leio e revivo cada momento é o do Markus Zusack, mas eu já fiz a review dele no blog, então vou falar aqui o porque eu gosto tanto de lê-lo.

12465234_1103264523026197_1931815901_o

Capa toda danada de tanto que li esse livro

As palavras podem mudar muitas coisas, mas principalmente mudar as pessoas, é muito verdade aquela frase do Mario Quintana: “Livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas. Os livros só mudam as pessoas”.  A obra de Markus fala exatamente sobre isso. Liesel chega na casa dos Hubermans sem conhecer os livros, sem saber o que as palavras significavam, mas desde o começo ela sentia atração por essas coisas, tanto que seu primeiro roubo aconteceu quando ela ainda não sabia ler.  Depois de aprender a ler ~pelo carinho do pai adotivo, não pela escola autoritária~ ela se modificou, se tornou mais forte e viu que poderia mudar muita coisa a sua volta.

O livro mostra que as palavras salvam vidas, foi por meio de palavras que ela salvou seu amigo Max, o judeu que ela escondiam no porão, quando ele ficou muito doente. Aliás foram as palavras que fez com que o Sr. Hubermman voltasse para casa depois da Primeira Guerra. Liesel foi salva pelas palavras, várias vezes. E foi através dessas palavras que a Morte se interessou por essa pequena criatura, em meio ao caos da 2ª Guerra Mundial e resolveu contar para nós, leitores. No fundo somos todos um pouco Liesel, sendo salvos de diversas formas pelos livros ou pela vontade de escrever.

12464993_1103264593026190_1666787577_o

Acho incrível o paralelo que o autor faz com o poder das palavras nessa guerra tão chocante para todo o mundo, porque lá estava ele, Hitler, baixinho, mimado, perfeccionista, mas que tinha intenso conhecimento do poder das palavras, moveu multidões a acreditar que o que ele estava fazendo era para o bem de todos, os convenceu com discursos acalorados, porque era importante que as pessoas ficassem agitadas e não pensassem muito sobre o que ele estava falando. Tanto que as principais fogueiras feitas pelos alemães eram de livros. Livros que faziam as pessoas se aquietarem, refletirem, discordar… livros ruins para época.

A cada vez que eu leio esse livro (já foram umas cinco vezes) eu percebo o quão grandioso é o poder que temos nas mãos: livros, internet, várias opiniões sobre o mesmo assunto. Que pode ser usado tanto para gerar reflexão, quanto para alienar de vez todos nós. Todas as vezes que li a história de Liesel, me emocionei muito com as últimas páginas, porque é tão bem escrito que nos envolvemos com todos os personagens e nos colocamos no lugar da Morte.

12465410_1103264549692861_1836518004_o

12465482_1103264566359526_838785233_o

Continuo apaixonada por esse livro!

Tem um livro que já leu tantas vezes que perdeu a conta? Gosta de leituras repetidas? Comente!

Escrito por:
Mari Bomfim

Anúncios

9 comentários em “DESAFIO LITERÁRIO DOS 60 DIAS #4

  1. Adoro A Menina Que Roubava Livros!
    Recentemente, vi uma matéria colocando o filme como mais uma das decepções para os fãs de livro e discordei… Gosto dos dois.
    Sabe, acho que nunca reli um livro mais de uma vez… Fora um que é minha “bíblia” para a vida e que eu estou lendo constante e eternamente, rs

    Curtido por 1 pessoa

  2. Eu li “a menina que roubava livros” mas por alguma razão que não sei dizer, não gostei do final, esperava mais, eu acho. Fique com aquela bendita sensação de “é apenas isso?”.
    Enfim, li “orgulho e preconceito” dúzias de vezes e amo esse livro, sempre fico com a sensação de que alguma coisa vai acontecer de diferente na história e os dois não vão ficar juntos (risos). Também li “os irmãos karamazov” várias vezes e sempre encontro algum elemento novo que me fascina e encanta nos comportamentos os personagens de Fiodor… tem também “olhos de menina” de Susan Fletcher que é esse olhar para dentro, essa necessidade de compreender a si mesma através das lembranças que a personagem desenha na primeira pessoa do singular. O maravilhoso “a elegância do ouriço” cujo final de roubou o chão e “ratos” de Gordon Reece que me prende a cada nova leitura porque parece inacreditável, em muitos momentos as coisas que somos capazes. aff

    Parei…
    bacio

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s