REVIEW: RAZÃO E SENSIBILIDADE DE JANE AUSTEN

Sim, terminei mais um livro da incrível Jane Austen, eu já li outros dois “Orgulho e Preconceito” e “Emma”, ambos com reviews no blog, faltava só esse para terminar a coleção linda da edição da Martin Claret que o Rafa me deu.

12699071_1126869987332317_1353176259_o

“Este foi o primeiro romance de Jane Austen. Publicado em 1811, logo recebeu reconhecimento do público, Razão e Sensibilidade é um livro em que as irmãs Elinor e Marianne representam uma dualidade, de maneira alternada, ao longo da narrativa. As expectativas vividas pelas duas com a perda, o amor e a esperança, nos aponta para um excelente panorama da vida das mulheres de sua época. As irmãs vivem em uma sociedade rígida, e ambas tentam sobreviver a esse mundo cheio de regras e injustiças. Tanto a sensível e a sensata Elinor como a romântica e impetuosa Marianne se veem fadadas a aceitar um destino infeliz por não possuírem fortuna nem influências, obrigadas a viver em um mundo dominado por dinheiro e interesse. As duas personagens passam por um processo intenso de aprendizagem, mesclando a razão com os sentimentos na busca por um final feliz.”(skoob.com)
Editora Martin Claret – 453 páginas.

Eu achei o livro mais cansativo que os outros dois, o livro não tem uma história cheia de reviravoltas, já no começo você mais ou menos sabe como vai acabar a história, quem vai ficar com quem, quem vai se dar bem, e tal. Esse é o primeiro livro escrito por Austen, então é  possível entender porque talvez seja um pouco fraco. Claro que assim, como os outros, tem a crítica ácida à sociedade que ela vivia, fazendo ironias com o machismo e o preconceito entre classes sociais. Jane destaca muito a mediocridade das pessoas na época que queriam parecer de um jeito: pessoas finas, educadas e elegantes, mas na verdade eram apenas arrogantes e mesquinhas.

12736261_1126870023998980_197341876_n

As personagens não são lá muito profundas, tanto Mariane quanto Elionor (as protagonistas) são 8 ou 80, uma é muito racional, esconde seus sentimentos e a outra é totalmente passional parecendo muitas vezes uma cabeça de vento. Mariane (a sensibilidade) é imatura, sofre o livro inteiro, entre em depressão profunda e Elionor, que tinha tudo para não sofrer demais, acaba tendo dificuldades por não falar o que sente. Mas o livro é só sobre isso. Não tem como não comparar com os outros dois livros que eu li onde os personagens são bem desenvolvidos e a história bem trabalhada.

12696320_1126870050665644_1252213318_o

Claro que desde o primeiro livro, além da acidez e ironia caprichadas de Jane, ainda tem os detalhes e a ambientação que são fantásticos, você realmente se sente na Inglaterra do século XIX, as atividades de lazer, os detalhes das casas em que moram, os lugares para onde viajam, as roupas, as festas, tudo é descrito de forma detalhada e com grande maestria.

Se for para você se apaixonar pela Jane, não recomendo que leia esse livro primeiro, porque decepciona um pouco, mas claro, se você quiser ler para saber como a escritora mais famosa de todos os tempos começou, então leia!

Gosta de livros clássicos? Já leu este livro? Comente!

Escrito por:
Mari Bomfim

Anúncios

3 comentários em “REVIEW: RAZÃO E SENSIBILIDADE DE JANE AUSTEN

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s