DESAFIO LITERÁRIO DOS 60 DIAS #46 #50

E lá vamos nós de novo para esse desafio que era pra ser dos 60 dias, mas tá virando uma eternidade! Quer saber sobre os outros livros? Clica na barra do menu ali em cima e selecione a categoria, ou clique aqui.

DESAFIO LITERÁRIO DOS 60 DIAS

#46 – UM LIVRO BASEADO EM FATOS

#50 – UM LIVRO COMPLEXO

wp-1478377584965.jpeg
Foto: Mari Bomfim

“1984”, é um livro de George Orwell, que foi baseado na Revolução Russa, assim como o livro “A Revolução dos Bichos” e é um livro extremamente complexo. Enquanto eu o lia, ficava imaginando como o autor foi capaz de escrever algo dessa complexidade e importância, tendo vivido a Revolução e estando em meio à Segunda Guerra Mundial!

Como eu disse na review, é um livro lindo e assustador, pois ainda é incrivelmente atual! Vale muito a pena, não apenas ler, mas entrar na discussão que o livro trás!

Escrito por:
Mari Bomfim

Anúncios

Lidos em Outubro/16

Quem acompanha a review do blog, viu que esse mês li novamente três livros (acho que é o máximo que eu consigo por mês). Foram dois livros que me abriram muito a mente e um que me acolheu de forma animadora.

GEORGE ORWELL

wp-1477746344979.jpeg

Li “A Revolução dos Bichos” e “1984” seguidinho um do outro e só posso dizer que são aqueles livros que a gente fica embasbacada com cada tapa na cara e soco no estômago que a gente leva.

O LIVRO DAS CRISES

wp-1477746344960.jpeg

Enquanto eu lia os dois livros tensos aí de cima, eu ia lendo as crônicas de Julia Tolezano em “Tá todo mundo mal” e amando cada partinha. É realmente acolhedor saber que alguém tem crises muito parecidas com vc!

Quais foram os seus livros desse mês? Comente!

Escrito por:
Mari Bomfim

REVIEW:1984 DE GEORGE ORWELL

Romance distópico clássico do autor britânico George Orwell. Terminado de escrever no ano de 1948 e publicado em 8 de Junho de 1949, retrata o cotidiano de um regime político totalitário de modelo comunista. No livro, Orwell mostra como uma sociedade oligárquica é capaz de reprimir qualquer um que se opuser a ela. De fato, 1984 é uma metáfora sobre o poder e atuação dos regimes comunistas, Orwell o escreveu animado de um sentido de urgência, para avisar os seus contemporâneos e às gerações futuras do perigo que corriam, e lutou desesperadamente contra a morte – sofria de tuberculose – para poder acabá-lo. Ele foi um dos primeiros simpatizantes ocidentais da esquerda que percebeu para onde o estalinismo caminhava e é aí que ele vai buscar a inspiração: percebe-se facilmente que o Grande Irmão não é senão Stalin e que o arqui-inimigo Goldstein não é senão Trotsky.(skoob.com) – Editora Companhia das Letras, 2009, 414 pág.

wp-1479152310856.jpeg

O que dizer desse livro? Assim como em “A revolução dos bichos“, “1984” me deixou embasbacada com a quantidade de coisas atuais que ele ainda possui. Sabe o que é ler um livro e visualizar todo um futuro já acontecendo que corresponde as imagens do livro, então…

“Quem controla o passado controla o futuro; quem controla o presente controla o passado”

No começo, enquanto eu li a primeira parte, eu me peguei pensando em levar esses livros para a escola, sabe [eu realmente não sei o que eles leem hoje, mas eu não li esse livro na escola, nem lembro dele ter sido mencionado em qualquer aula, de qualquer matéria]. Mas como o livro termina bem pra baixo, então… melhor deixar as crianças terem esperança, certo?

O conceito do livro é simples: Winston, nosso protagonista, vive em uma ditadura comunista [mas como próprio livro diz, não importa o regime, é apenas o poder por ele mesmo]. Nesse regime extremista, eles são sempre vigiados pelo Grande Irmão, e qualquer deslize, qualquer forma de pensamento próprio ou privacidade te transforma no inimigo número um do Partido.

Winston via as coisas de forma diferente, não conseguia entender como toda a população se submetia cegamente a conceitos claramente mentirosos e que só prejudicavam a si mesmo, como podia as pessoas não enxergarem a manipulação?

Como se poderia imaginar, ele é pego pelo Partido e então começa uma sessão interminável de torturas físicas e mentais, em um dos momentos mais chocantes do livro, Winston se defronta com ele mesmo no espelho e não se reconhece. Diferentemente das torturas realizadas por outras ditaduras, o objetivo do Partido não era matar a pessoa ou fazê-la sofrer, porque isso seria criar mártires.

Eles queriam que Winston não fosse mais humano, não fosse um indivíduo, mas sim apenas mais um na grande massa, eles o “curariam”, mostrariam para ele que tudo esse modo de pensar, de direitos humanos, era apenas um capricho seu, na verdade uma doença mental que o infectou, e portanto seria curado, para pensar como todos os outros [conseguem ver algo sinistramente familiar nisso tudo?]

2016-18-10-17-33-58
“Poder não é um meio, mas um fim. Não se estabelece uma ditadura para proteger uma revolução. Faz-se a revolução para instalar a ditadura“.

É um livro chocante e extremamente verdadeiro, uma obra que quase não foi acabada , pois Orwell já estava muito doente. Realmente um livro que teve que ser escrito e principalmente, deve ser lido e discutido!

Escrito por:
Mari Bomfim